Na hora redonda, de Tati Mancebo

luasol1.jpgNa hora redonda, de Tati Mancebo, é ofrecida na web de d’ Os Cadernos de Azertyuiop tal como foi editada na súa segunda edición, en 1998. O peso das cores, a idea do tempo (tratada dunha perspectiva case mítica) e o aspecto lúdico configuran un libro en que a brevidade dos poemas e a diversidade dun imaxinario impactante definen unha posíbel “poesía da imaxe”. Outra mostra da variedade da poesía galega dos anos 90. A gravura que aparecía na capa e agora tamén ilustra os textos é de Alberto Esperante.

Share

1 comment to Na hora redonda, de Tati Mancebo

  • Pedro Casteleiro

    Acabei de ler de novo este poemário e sinto que o sangue que começou a aventurar-se nestes luminosos viços deixe algum dia de fluir para uma verdade e uma expressão que, sem dúvida, para mim, são seu destino. Se assim for, todavia, vale a pena o maior viço da vida do que apenas o vício da poesia. Um abraço, Táti.