Criação, Poesia, Ramiro Torres

Poema de Ramiro Torres

Amo o mapa em que perder
As velhas orientações, caminho da
Cidade oculta sob o seu nome.

De ali é que saem ao encontro
As naves perdidas entre o meu corpo,
Com esta cálida voz da pedra branca
Em que nasce o meu destino, devolto.

Ouço o seu compasso em minhas pupilas:
O pó afastado da minha vista, e aparecida
Já a fenda em que viverei, longe,
Não há nada a deixar aqui, salvo a cegueira.

2007.

Share
Standard

2 thoughts on “Poema de Ramiro Torres

Comments are closed.