“Sentes a mutação do corpo…”, um poema de Ramiro Torres

Ao Pedro Casteleiro, no início da Vida.

Sentes a mutação do corpo
Em estrela munidora, anterior
Ao nome que te cai por fora,
Incapaz de conter a irrupção
Do teu habitar na realidade
Desbordada, acostumando
Ainda os olhos ao que deixam
De não ver. Aqui, longe.

Ramiro Torres (outubro de 2008)

Share

Comments are closed.