Cancioneiro do silêncio, de Pedro Casteleiro

Desfruten o maravilloso recital que Pedro Casteleiro, noso amigo e deste blogue colaborador, ofreceu na Coruña ben acompañado dos dedos-corazón de Manu Clavijo. Poesía de alto nivel no século XXI na cidade de Hércules, obxecto precioso que serve para referenciar o norte poético que nunca debe abandonarnos.

Por cortesía de Celso Álvarez Cáccamo, con certeza o primeiro editor web de varios dos poetas coruñeses de 90, na súa Çopyright podemos descobrir a forza telúrica e a maxia pagá dese fermosísimo Cancioneiro do silêncio. Visiten a páxina, de contidos sorprendentes desde hai moito tempo, e ouzan o recital. É unha moi insistente recomendación para aqueles que gostan de poesía.

A. F.

Share

14 comments to Cancioneiro do silêncio, de Pedro Casteleiro

  • […] Desde o Grupo Surrealista Galego agradecemos o envio deste poema e a amizade diamantina de Pedro Casteleiro: […]

  • Tatiana,
    Mandei nota sobre seu comentário ao Pedro Casteleiro.

    Abraço fraterno do
    Alfredo Ferreiro

  • Tatiana,
    Mandei nota sobre seu comentário ao Pedro Casteleiro.

    Abraço fraterno do
    Alfredo Ferreiro

  • Tatiana Casteleiro

    Pedro,
    Meu pai José higino Casteleiro Boente nasceu em El Ferrol também. Sou do Brasil e tenho dúvidas se temos algum grau de parentesco.

    Você conhece ou já ouviu falar do meu pai?

    Abraços

  • Tatiana Casteleiro

    Pedro,
    Meu pai José higino Casteleiro Boente nasceu em El Ferrol também. Sou do Brasil e tenho dúvidas se temos algum grau de parentesco.

    Você conhece ou já ouviu falar do meu pai?

    Abraços

  • Pedro Casteleiro

    Amigos

    a quem conheço e desconheço, fico satisfeito ao saber que, na seqüência deste recital, vos achais mais profundamente assentes, como diria?, no lugar entre as cousas que por natureza vos pertence.

    Estou convosco, de coração, ó buscadores, a pesar dos meus naufrágios, a pesar das vossas derrotas.

  • Pedro Casteleiro

    Amigos

    a quem conheço e desconheço, fico satisfeito ao saber que, na seqüência deste recital, vos achais mais profundamente assentes, como diria?, no lugar entre as cousas que por natureza vos pertence.

    Estou convosco, de coração, ó buscadores, a pesar dos meus naufrágios, a pesar das vossas derrotas.

  • José António Lozano

    Que bom, Pedro. Realmente bom. E Manu sem comentários. Certos poetas pode que não se vejam mas havê-los hai-nos!. Um forte abraço

  • José António Lozano

    Que bom, Pedro. Realmente bom. E Manu sem comentários. Certos poetas pode que não se vejam mas havê-los hai-nos!. Um forte abraço

  • françois

    Eu tamén quero agradecer a transmisión da palabra do poeta Casteleiro, grazas ao Levantador e a Çopyright, desde o interese particular de quen non chegou a estar no recital. Et, au fait: canta beleza no recitar!

  • françois

    Eu tamén quero agradecer a transmisión da palabra do poeta Casteleiro, grazas ao Levantador e a Çopyright, desde o interese particular de quen non chegou a estar no recital. Et, au fait: canta beleza no recitar!

  • Ramiro

    Obrigado por essa transmissão de energia tão especial, baloiçando entre palavra e música, para quem quiser, ou mesmo ousar, beber um bocadinho de universo.

  • tremendo o recital. Obrigado por poñelo!

  • tremendo o recital. Obrigado por poñelo!