<em>Transfusión oceánica</em>, de Xosé Iglesias

Transfusion oceánica, de Xosé Iglesias 250O mar é um universo onde tudo acontece, mesmo aquilo que semelha acontecer em terra. É princípio, meio e fim do que existe, porque o trabalho do marinheiro é tão intenso que o seu caminhar em terra tão só se entende como ausência de mar.
Transfusión oceánica é a obra poética de quem, sem deixar de ser um humilde marinheiro perante as forças incomensuráveis das ondas salgadas, é também um capitão que anseia dirigir a dança do oceano. São versos que nos oferecem à vez a épica do lavor diário e a poética de uma balança que abala entre os frutos da subsistência e o abraço espumoso da morte. Uma percurso trágico que, graças à sensibilidade e à experiência real de Xosé Iglesias, só podia chegar a bom porto.

Share

Deixar uma resposta