Quedam poucos como Narf

Santiago Auserón Juan Perro e Fran Pérez Narf: homenaxe a Pepe Rubianes en Vilagarcía (2/2). Foto de Alfredo FerreiroPenso que poucos restam como ele, com tanto talento, tanta multidisciplinaridade e com tamanho espírito tribalista. Gostava nos últimos tempos, em que tantas atitudes reacionárias semelham querer impedir o progresso individualizado do país (a direita, como sempre) e até não deixar-nos evoluir (a esquerda) para as novas fórmulas que o iminente futuro reclama, de imaginar que uns dos capitães induvidáveis do necessário Tempo Novo havia de ser o Fran Pérez ‘Narf’. Agora só poderemos contar com a sua permanente presença nos nossos corações. É uma dura lição que devemos apreender: que o tempo foge e que é preciso aproveitá-lo enquanto os nossos irmãos permanecem ao nosso lado. Logo tudo pode ser bem mais difícil.

Trago para aqui estas fotos tiradas em 2009 aquando da homenagem ao Pepe Rubianes, aonde nos coubo a honra de apresentar-lhe o Santiago Auserón, artista que já nunca deixou de valorizá-lo, como podereis ver nos vídeos que ofereço a seguir. Do último disco com a Uxia, Baladas da Galiza imaxinaria, o artista saragoçano opinava no verão de 2015 que havia de ser uma obra realmente marcante, não só na Galiza mas no panorama espanhol.

Naquele encontro de Vila-Garcia apresentamo-nos como admiradores seus, no que só acreditou quando lhe demonstramos que cantávamos de cor todas as canções que criara para Rio Bravo, do grupo de teatro Chévere, mais de vinte anos antes. “Quedan poucos coma el”, é certo, mas  com certeza a sua musa ha de nos guiar polo melhor caminho.

Fotos e vídeos: Alfredo Ferreiro.

Share

Duas noites de música tribalista com Uxía, Narf e Santiago Auserón Trío

No último fim de semana do mês de Julho, antes e depois da festa nacional que sempre celebrei como exaltação das tradições galegas e das raízes labregas da família, tive a honra de ouvir e me encontrar com três dos cantores vivos que mais admiro. Uma honra, aliás, que jamais tinha suspeitado na juventude nos meus melhores desejos para o futuro.

Uma honra multiplicada, vou dizer, até porque estas três potências da arte melódica atuárom muito concertadamente em dous inolvidáveis concertos, fazendo gala do mais puro espírito tribalista, que é aquele com que felizmente as mouras ocultas dos nossos castros nos iluminam quando o talento e a fraternidade se unem para converter um ato colectivo em intransmissível experiência individual.

Não podo contar muita cousa que sentim nestes dous dias. Talvez a minha gratidão sincera aos amigos por ter repartido tanta arte de modo tão generoso e magistral. Agradeci também abraçar o mestre Joan Vinyals e conhecer os geniais Budiño e Gabriel Amarant, para além dos já para mim imprescindíveis Rosa Bugallo e Marcelo DoBode. E a Miguel, gerente do Náutico de Sto. Vicente do Mar, vaia a minha gratidão mais profunda pola sua hospitalidade.

Ofereço aqui os dous vídeos que fum capaz de gravar com o telefone.

 

Share

Santiago Auserón Juan Perro e Fran Pérez Narf: homenaxe a Pepe Rubianes en Vilagarcía (2/2)

Santiago Auserón Juan Perro e Fran Pérez Narf: homenaxe a Pepe Rubianes en Vilagarcía (2/2). Foto de Alfredo Ferreiro

Share

Santiago Auserón Juan Perro e Fran Pérez Narf: homenaxe a Pepe Rubianes en Vilagarcía (1/2)

Santiago Auserón Juan Perro e Fran Pérez Narf: homenaxe a Pepe Rubianes en Vilagarcía (1/2)

Share