Apresentação de Caudal de relâmpagos, de Amadeu Baptista

Foi um prazer acudir à apresentação da nova obra do amigo Amadeu Baptista, uma seleção pessoal de poemas com base nos seus mais de trinta e cinco anos de trabalho poético. Mais um manual imprescindível para os amantes da boa poesia aquém e além do Minho, e sem dúvida um dos favoritos desde já na minha biblioteca.

Foi no ano 1994 que conheci o Amadeu Baptista no Festival da Poesia no Condado de Salva-Terra do Minho, quando ele aceitou o convite para vir recitar a terras galegas e eu acudi para acompanhar os amigos com quem vinha de celebrar na Corunha com um outro recital o aniversário da Revolução dos Cravos: António Cândido Franco, Francisco Soares, Avelino de Sousa, o falecido José Manuel Capêlo e os companheiros do Coletivo Poético Hedral. Desde aquele encontro a amizade prendeu e logo a viemos amarrar fortemente com cartas (aquelas folhinhas —lembram?— que introduzíamos em envelopes que logo eram decorados com selos ensalivados) e afinal coroámos com uma visita fundacional a Vila Nova de Gaia.

Muitos anos passaram, é certo, mas o caminho percorrido na companhia do amigo é, ademais de uma honra, o alimento do presente e do futuro (cfr. notícias de A. B. n’ OLdM). Porque se ter bons amigos fala bem de nós, muito melhor fala o facto de serem alguns deles autores da melhor poesia que desde há tempo se publica.

O vídeo que aqui oferecemos é resumo do evento que organizou, com eficácia e primor, a editorial Edições Esgotadas na sua nova sede no Porto, e que realizámos com sua permissão:

Paralelamente, aproveitamos para fazer referência também ao vídeo realizado pela própria editorial, em que a causa da nossa vaidade tanto gostamos de figurar.

{Palavra Comum}

Share

Apresentação de “Ágora”, de Samuel Pimenta

Apresentação do livro Ágora na livraria Sisargas da Crunha (Galiza), com Pedro Campos (música e voz), Iolanda Aldrei, Pedro Casteleiro e o próprio Samuel Pimenta.

{Palavra Comum}

Share

Carlos Pazos-Justo no Culturgal: A imagem da Galiza em Portugal

Share

Carlos Quiroga no Culturgal: A imagem de Portugal na Galiza

{Palavra Comum}

Share

Manifestação Atlântica no dia dedicado a Urbano Lugris

Promovido pelo colectivo In Nave Civitas Lugris, o 7º dia Lugris decorreu nas ruas da Corunha com orgulho surrealista, afã vanguardista e amor pela tradição. Houve música, arte plástica, intervenção urbana, canção popular, cita erudita, atrevimento corunhento, orgulho marinho e inspiração atlântica. A cidade ficava absorta ao nosso passo, e muitas pessoas aplaudiam enquanto outras, a causa do espartilho de um decoro imposto e falsário, saiam espavoridas ou arreganhavam os dentes. Foi sem dúvida uma actividade catártica, e quero pensar que não só para @s participantes, mas para essas ruas pisadas cada dia por todo o espírito artístico, e aqui são mais dos que parece, mesmo mais dos el@s própri@s chegam a saber. Ao deitar-me aquela noite, uma máxima ficou para sempre instalada no meu íntimo: “Menos derrotismo e mais surrealismo!”.

A Manifestação Atlântica foi convocada do seguinte modo:

cartaz dia lugris 2016«17 DE NADAL DE 2016

O vindeiro sábado, 17 de nadal, o colectivo In nave civitas e a asociación cultural O Mural organizan o VII Día Lugrís, data dedicada a lembrar a vida e obra do artista coruñés Urbano Lugrís González.

Os actos comezarán as 18:00 horas na praza de Pontevedra ao pé da estatua de Eusebio da Guarda coa inauguración dun grafiti no que vaise reproducir unha serigrafía do pintor titulada Marineda Soñada. O mural estáse a realizar nun lugar habilitado  para a ocasión no Instituto de Ensinanza Secundaria Eusebio da Garda.

A continuación dedicaremos un tempo para o tradicional obradoiro de paraugas no que decoraremos os nosos “parachuvias” con motivos marítimos e da obra de Lugrís.

A iso das 19:00 horas comezará a Manifestación Atlántica polas rúas da Pescaría con paradas para lembrar a vida e obra do escritor e pintor coruñés. A manifestación rematará na Coiraza onde realizaremos, se Poseidón nolo  permite, un avistamento de baleas e homes mariños.

O colectivo In nave civitas convida a toda a cidadanía a participar neste acto atavíado coas súas mellores galas mariñeiras e que porten, se as teñen, as súas buguinas, para acompañar a ruta.

Este ano acompañarán a marcha un cortexo de 6 bucios ataviados co uniforme de gala da Unión de Conserveiros de Galicia.  Algúns dos escafandros (elaborados pola artista Viki Rivadulla) pódense admirar na Libraría Sisargas (r/ San Roque, 7) até o propio 17/12/2016.
Dentro dos actos do día Lugrís a fotógrafa Pilar Silva, membro do colectivo In nave civitas, presenta a súa exposición Cosendo as ondas do mar. A exposición poderá desfrutarse na Buserana bar, praza de José Sellier, dende o venres 16 de decembro até o remate de xaneiro.»

{Palavra Comum}

Share