«Unha normativa non pode virar unha dogmativa»

Teresa Barro Pardo

Teresa Barro (Sermos Galiza): […] A Real Academia Galega está actuando como se non entendese que unha normativa non pode virar unha dogmativa, que normas e dogmas non son a mesma cousa e que as normas sempre se poden mudar e cuestionar porque non hai nengunha verdade ¨relixiosa¨ por detrás delas. […]

Share

“O fim do Apartheid” na Corunha

Manifesto O fim do Apartheid

O manifesto “O fim do Apartheid”, em favor de maior tolerância gráfica para a língua galega, continua ganhando adesões. São já por volta de 1.100 pessoas preocupadas com a decadente deriva da cultura, reintegracionistas ou não, que têm apoiado o texto com sua assinatura consciente. Porque o texto, não tendo que ser por razões de estilo igualmente satisfatório para tod@s, tem a incontestável virtude de ser muito claro no que às suas intenções diz respeito: reclamar o fim da invisibilidade para uma perspetiva da língua que tem sido marginalizada nas últimas décadas embora alguns dos maiores vultos da intelectualidade do país tenha erguido no seu seio grandes obras e o galeguismo referencial do século XX tivesse reconhecido a sua pertinência. […]

Share

Confluência de corações

A Associaçom Galega da Língua (AGAL) aprovou dia 3 em assembleia o texto que recolhe a confluência das duas tradiçons normativas que coexistiam no reintegracionismo, que a partir de hoje contará com umha única proposta ortográfica e morfológica. […]

Share

Tolerância gráfica

Compromiso por Galicia na Corunha em 2016 por Alfredo Ferreiro

“Tolerância gráfica” é um artigo sobre a escrita da língua galega de Alfredo Ferreiro publicado no jornal digital Praza Pública. […]

Share

Manifesto "O fim do Apartheid"

Rosa Parks Bus

Manifesto “O fim do Apartheid”. […]

Share

Pela tolerância ortográfica

Poema de Alfredo Ferreiro. […]

Share

DdoOLeR 2013

Share